Arquivo do mês: novembro 2011

LE BEAUJOLAIS NOUVEAU EST ARRIVÉ.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre bebidas alcoólicas. Lembramos que o seu consumo por menores de idade, menos de 18 anos, é proibido por lei assim como por motoristas de qualquer idade. Além disso é sempre bom lembrar que devemos beber com moderação.

A região de Beaujolais, próxima geograficamente da Borgonha, não guarda com esta qualquer semelhança. Terreno diferente, uvas diferentes, não fazem vinhos semelhantes, historicamente o Beaujolais e a Borgonha não trilharam caminhos iguais. Não me recordo de nenhum episódio onde esses vizinhos tenham partilhado de uma aliança – o Beaujolais sempre manteve-se separado da Borgonha.

O Beaujolais não é um grande vinho – feito com as uvas permitidas na região, Petit Gamay e Gamay Noir à Jus Blanc dividido em 3 categorias:

Os Crus de Beaujolais, produzidos nas 9 principais comunas tem bons vinhos, Nota 3, as vezes 4 em 5 possíveis feitos do modo tradicional, podem ser consumidos em até 3 anos.

O Supérieur ou Villages produzido em 38 comunas da região, um Nota 2 ou 3 que pessoalmente considero de pouco corpo, feito também pelo método tradicional, deve ser consumido em até 1 ano.

E o Beaujolais Primeur ou Noveau que se utiliza da maceração carbônica, onde as uvas sem serem esmagadas fermentam e tem a casca estourada pela própia fermentação – o vinho se apresenta pronto em curto espaço de tempo – 2 meses e deve ser bebido também rapidamente – no máximo em 3 meses. Um vinho Nota 2 ou 3 em 5 possíveis.

Pela lei francesa esse vinho pode ser comercializado ao público a partir da terceira quinta-feira do mês de Novembro e para que ocorra os produtores embarcam seus vinhos por via aérea numa verdadeira operação de guerra. Os vinhos devem estar disponíveis ao público na data. Além da França e do Japão, principais mercados do Beaujolais o marketing dos produtores tenta espalhar pelo mundo a fama de seu vinho obtendo ai maior ou menor sucesso. No Brasil seu consumo vem decaindo desde o final dos anos 1990, o alto preço e o maior conhecimento dos bebedores sobre o assunto parecem ser os motivos.

Acho o Noveau um vinho jovial, gostoso geladinho para aperitivo mas com preço por volta de R$ 100,00 a garrafa não tenho certeza de que vale a pena, vinhos melhores estão disponíveis por bem menos – mas sempre acabo por provar pelo menos uma garrafa, um hábito acho, é o primeiro brinde do final de ano!

As fotos publicadas são de divulgação do vinho.

VINHO CASTILLO DE YGAY – MARQUES DE MURRIETA.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre bebidas alcoólicas. Lembramos que o seu consumo por menores de idade, menos de 18 anos, é proibido por lei assim como por motoristas de qualquer idade. Além disso é sempre bom lembrar que devemos beber com moderação.

Sempre que tenho alguma sobra de caixa invisto em novas experiencias. Pode ser uma caixa de charutos cubanos, algum vinho, uma viagem ou uma aventura, depende do humor do momento e do tamanho da folga. Há algum tempo comprei algumas garrafas de Castillo de Ygay, 1978 (duas) e 2001 (quatro) e venho namorando com elas. No último fim de semana decidi abrir uma 2001.

Como sempre faço com vinhos mais nobres abri a garrafa cerca de 2 ou 3 horas antes do momento de consumo, tirei uns 50 ml para prova de abertura e para aumentar a área de oxigenação na garrafa.

Essa pequena amostra foi o meu primeiro contato com o vinho. Provamos o vinho, a Paty e eu – denso na boca, muito tânico e complexo, essa foi a primeira impressão, estava diante de um grande vinho! Em seguida passei, cuidadosamente, o vinho para um decanter – era necessário arejá-lo mais e duas horas depois o resultado foi surpreendente.

O vinho mostrou-se em sua plenitude, denso, aromas intensos, carnudo, um absurdo de sabores e odores que mudavam e evoluíam com o passar do tempo, uma verdadeira viagem de quase quatro horas.

Tenho algumas manias na questão vinho, uma delas é a de evitar ler sobre um vinho que não conheça, como este caso, antes de prova-lo – não quero a influência do conhecimento sobre meu paladar. Outra mania é a de guardar um pouco do vinho para prova-lo em jejum no dia seguinte quando os defeitos existentes estarão ressaltados.

Desta vez sobrou um pouco mais pois a Paty grávida apenas provou o vinho a noite – não estava em seus melhores dias. E veio a surpresa pois o vinho estava vivo e bem obrigado, evoluiu para algo semelhante a um jerez seco, carnudo e frutado, doce sem ser enjoado, acho que quase a perfeição. Adiantei o meu almoço desse dia acompanhado apenas de água com gás e após tomei o cálice e meio desse precioso vinho acompanhado por um Cohiba 1966 – edição limitada de 2011. Duas horas de prazer inesquecível com um vinho Nota 5 em 5 possíveis, que mais pode um apreciador de vinhos e charutos desejar?

Bares e Restaurantes que abrirão em São Paulo – Feriado 15 de Novembro de 2011.

Atenção: Horários de funcionamento em especial para esta data. Recomendações de acordo com nossas visitas.

Brasil a Gosto – Restaurante / cozinha brasileira

Recomendamos: Tilápia rosa grelhada, purê de mandioquinha e molho de cebola/ Lombo de bode cozido no próprio molho, favas, purê de batata-doce e queijo manteiga ( este último é do cardápio da Paraíba por tempo limitado).

Rua: Prof. Azevedo Amaral, 70 – Jardim Paulista- SP

Tel: 3086 -3565 – Aceita reservas

Funcionamento: 12h00 às 17h00

Barbacoa – Restaurante / Churrascaria Rodízio

Recomendamos: As melhores carnes são as de cordeiro e costela de ripa.

Rua: Dr. Renato Paes de Barros, 65, Itaim –SP

Tel: 3168-5522 – Não aceita reservas

Almoço: 12h00 às 17h00

Jantar: 19h00 às 23h00

Outras Filiais nos Shoppings D&D e Morumbi – Não é rodízio, só atende  a la carte. Excelente mesa de acompanhamentos e sobremesas. Horários de funcionamento de acordo com as normas do shopping para o feriado.

Fogo de Chão –Restaurante / Churrascaria Rodízio

Recomendamos: Ótimo rodízio – Peça: Picanha baby / Sholder / Carré de cordeiro. Caipirinha especial da casa é inesquecível e tem uma das melhores adegas de vinho do Brasil.

Av: Moreira Guimarães, 964 – Moema – SP

Funcionamento: 12h00 ás 22h30

Filiais: Santo Amaro e Vila Olímpia  – Mesmo horário de funcionamento.

Tel: 5056 – 1795 – Em feriados Não aceitam reservas – Atendimento por ordem de chegada.

Huto – Restaurante / Culinária japonesa –

Recomendamos: Tartar de Salmão / Tartar de Maguro com foie gras/ sushis atum com foie gras/ salmão com azeite trufado, tempurá de palmito ou uni, Siri mole frito, perfeito.  Excelente carta de saquê.

Av. Jandira, 677 – Moema –SP

Tel: 5052-6804 – Aceita reservas – atendimento para agendar a partir das 17h00

Funcionamento: das 19h00 às 00h00

Marakuthai – Restaurante / cozinha contemporânea com toques especiais da culinária Thai ou tailandesa

Recomendamos: Tak – tak – Mini bolinhos de carneiro/ Bacalhau com batata doce ao murro / Romeu e Julieta  – Coxa de pato confit com molho de goiabada cascão e vinho do porto. Acompanha purê de queijo meia cura.

Alameda Itu, 1618 – Cerqueira Cesar  – SP

Tel: 3062-7556 ou 3061-1015 – Aceita reservas

Funcionamento: À partir das 20h00

Tasca da Esquina – Restaurante / Culinária Portuguesa –

Recomendamos: Só comemos  petiscos na visita – vão os melhores:  Bolinho de bacalhau / farinheira / camarões –  Boa carta de vinhos Portugueses

Alameda Itu, 225 – Jardins – SP

Funcionamento: 12h00 ás 18h00

Tel: 3262-0033 ou 3141-1149 – Recomendamos reservar

Botta gallo – Bar e Restaurante / culinária italiana

Recomendamos: “Ovo guido” – ovo mole, com uma finíssima fatia de pão torrado com creme trufado. Scarpeta de carne rústica acompanha deliciosos pães diversos / inusitado “plin no guardanapo”. Em porção de prato individual ou em pequena na versão para petiscar o nhoque dourado com ricota e rúcula, leveza e sabor impecáveis. Excelente carta de drinks e bons vinhos.

Rua: Jesuíno Arruda, 520 – Itaim – Sp

Tel: 3078-2858 – Não aceita reserva. Atendimento por ordem de chegada.

Almoço: 12h00 ás 15h00 – Em caso de casa cheia, poderão estender até o jantar.

Jantar: 18h00 às 23h00

 Xopotó – Restaurante / culinária mineira

Recomendamos: “Os Tropeiros” – feijão tropeiro, arroz, couve, bisteca de porco, mandioca frita e torresmo. Com grande variedade de cachaças mineiras. E o melhor doce de leite do Brasil!

Rua: Dr. Fadlo Haidar, 136 – ( Continuação da Rua João Cachoeira) – Vila Olimpia –SP

Tel: 3849 -1267 ou 3044 – 3408 – Aceita reservas

Funcionamento: 12h00 ás 18h00

Mocotó – bar e restaurante / culinária brasileira

Av. Nossa Senhora do Loreto, 1100 – Vila Medeiros

Telefone: 2951- 3056

Horário: 12h00 às 17h00
Como o próprio Chef da casa diz: “Cozinha brasileira, comida do sertão”. Feita com perfeição.

Dica: A casa não aceita reservas, em dias normais a fila de espera costuma ser em média 1h30 (uma hora e meia).

Arturito – Restaurante / culinária clássica européia

R. Artur de Azevedo, 542 – Pinheiros

Telefone: 3063- 4951

Horário: almoço 12h00 às 16h00 e jantar 19h00 às 00h30

Lugar que costuma ser tranquilo, alta gastronomia. Atendimento não acompanha a cozinha, deixa um pouco a desejar.

Le Marais Bistrô – Restaurante / culinária francesa

R. Jerônimo da Veiga, 30 – Itaim Bibi

Telefone: 3071-4635

Horário: almoço 12h00 às 16h00 e jantar 19h30 às 00h00

Ambiente que representa a gastronomia francesa com maestria.

Desejamos um proveitoso feriado a todos e bom apetite!

PESQUEIRO ECO GOURMET – VISITA DE 06/ 11/ 2011.

Postado por: José De Mauro.

Este é o segundo post sobre o Pesqueiro – clique aqui para ler o primeiro post. Desta vez além de curtir a praia e comer um lanche por ali ficamos passeando pela orla da Barra atrás de locais que fossem um bonito fundo para fotografar, era domingo e a praia estava cheia, foi preciso andar bastante para conseguir fotos sem pessoas ao fundo.

Com a Paty grávida ter um banheiro por perto era imprescindível e acabamos parando em vários outros quiosques para conseguir algum conforto – banheiro além de água e água de coco geladas. A diferença entre o Pesqueiro e os demais é gritante – banheiros limpos, atendimento adequado faltam aos demais, as vezes a limpeza e as vezes os dois. No Pesqueiro a única falha é a fila no banheiro feminino, muita gente da praia acaba usando os de lá pois são bem cuidados.

De excepcional, entre os pratos, o camarão a moda do Chef – com alho, azeite e vinho branco, acompanhado de torradas é de babar, realmente fora de série. Espero ter tempo de retornar para uma saideira pois tem muito trabalho para ser feito e o retorno a Sampa será na quarta-feira pela manhã.

Endereço            Quiosque 49 A/B e 50 A/B – Ilha 25 – Barra da Tijuca (Reserva)

Telefone             (21) 7894 9278 ID – 24*9278 – (21) 8234 8506

Site                        http://www.pesqueiroecogourmet.com.br/

CHAMPAGNE – A INVENÇÃO DE UM VINHO.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre bebidas alcoólicas. Lembramos que o seu consumo por menores de idade, menos de 18 anos, é proibido por lei assim como por motoristas de qualquer idade. Além disso é sempre bom lembrar que devemos beber com moderação.

Os vinhos espumantes são normalmente vinhos menores, mesmo os espumantes sérios não vestem as roupas da realeza exceto no caso do champagne. Neste vinho tudo muda, as borbulhas são bem-vindas e o que em outras combinações seriam defeitos passam a ser o máximo de qualidade.

Diz a lenda que o monge beneditino Don Pérignon provou do vinho que vazava de uma garrafa estourada devido a alta pressão desse vinho extremamente genioso. Entusiasmado com as sensações provocadas pela experiencia teria exclamado que “estava bebendo estrelas”.

Os fatos reais são menos poéticos porém igualmente importantes, em 1668 Don Pérignon entrou para a Abadia Beneditina de Saint-Pierre de Hautvillers onde assumiu o cargo de Tesoureiro – responsável pela coleta de doações e do dízimo da região e sobre a produção de bens da abadia, seu interesse nos vinhos que ali eram produzidos visava apenas conseguir uma boa fonte de rendas – uma vez que boa parte do dízimo era paga pelos habitantes com produtos, no caso as uvas cultivadas por eles.

Don Pérignon não inventou o novo método que utiliza a segunda fermentação na garrafa para dar ao vinho suas características únicas, ele apenas usou de bom senso e lógica para eliminar o supérfluo e adotar formas de permitir ao vinho espumante e genioso se manifestar no que de melhor podia oferecer. A partir da entrada em cena de Don Pérignon os vinhos de Champagne tomaram o caminho que os que os consagraria no mundo.

As garrafas de vidro utilizadas na época eram frágeis demais para o genioso vinho, e muitas delas acabavam por não resistir às pressões geradas durante a segunda fermentação. Eram vedadas com um batoque de madeira envolvido em trapos normalmente embebidos em cera de abelhas, alguns autores indicam os açúcares residuais dessa cera como o elemento que disparava a segunda fermentação do vinho.

Outra lenda conta que Don Pérignon seria o primeiro produtor a utilizar a rolha de cortiça para vedar suas criações mas sobre tal fato não existem provas históricas. O monge viveu de 1639 a 1715 – cerca de 76 anos portanto, nada mal em sociedade onde os homens de 40 anos eram considerados velhos.

O gosto dos champagnes criados por Don Pérignon pouco ou nada tinham do sabor que hoje provamos, o vinho era muito doce para os nossos padrões, vinhos turvos devido a não retirada da borra gerada pela segunda fermentação e tinham um pronunciado gosto de fermentado mas destacavam-se pois eram diferenciados e vendiam bem.

No post da próxima semana o caminho deste vinho para o aspecto e sabor de nossos dias.

CRISP DE ERVAS.

Postado por: José De Mauro.

A piada é velha mas não consegui resistir – na culinária nada se cria, tudo se copia – a ideia deste prato veio da bisteca de angus provada no Due Cuochi à pouco tempo. A ideia ficou e a Paty decidiu testar para incrementar um prato de muçarela de búfala e tomates que estava compondo, o resultado foi aprovado. Este item provavelmente vai se tornar uma constante em nossas saladas.

Uma dica – use azeite – o óleo não trabalha a favor do sabor desta receita, testamos e não chega perto do sabor que se consegue com o azeite.

Ingredientes para 2 porções:

Um punhado de folhas de temperos variados de sua preferencia – hortelã, sálvia, salsinha, manjericão e outras ervas de folhas grandes, fica difícil manusear as folhas pequenas.

Azeite para fritar

Modo de fazer:

Em uma frigideira ou panela estreita aqueça bem um tanto de azeite, use fogo alto durante todo o processo. Lave e seque bem as folhas escolhidas, despeje tudo na frigideira bem quente espalhando ao jogar, não mexa para não despedaçar as folhas. O ponto é o momento em que as folhas param de estalar no azeite quente. Rapidez é essencial para não passar do ponto – o gosto pouco muda mas a aparência perde muito. Com uma escumadeira retire rapidamente as folhas e coloque sobre papel absorvente para retirar o excesso de óleo. Use no prato que desejar ou coma polvilhado com um pouco de sal e canapés.

Uma dica se você branquear as folhas antes de frita-las a cor verde será ressaltada. Não esqueça de enxuga-las bem para não respingar durante a fritura.

SHORT HOYO PIRAMIDES – PRIMEIRA FUMAÇA.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre charutos, portanto se você não tem 18 anos, por favor, deixe de ler. É proibido por lei.

Sei que o fumo causa problemas de saúde. Fumar charuto é uma decisão pessoal minha e leva em conta os riscos advindos dessa decisão. Milhares de pessoas morrem no trânsito, mas não se proíbem os carros.

Estão desembarcando no Brasil os primeiros exemplares dos charutos cubanos da edição limitada 2011, importados pelo representante oficial da Habanos S. A. e eu já consegui por a mão em alguns. Até agora tinha fumado alguma coisa comprada na Europa ou trazida de lá por amigos que normalmente a base de troca cederam alguns exemplares desses novos charutos.

Caso deseje adquirir alguns o Roma Cigar Bar está comercializando parte das novas bitolas por unidades ou caixas.

O primeiro que fumei foi este pequeno pirâmide de 5 ¼” de comprimento e bitola 46 – 135 milímetros por 18,26 milímetros, feito de tabacos cubanos envelhecidos por 2 anos o formato recebeu o nome de Forum como vitola de galera.

Uma fumada de 60 minutos saborosa e adequada para quem aprecia os cubanos mais suaves, um charuto suave em termos de força mas bastante aromático, características condizentes com a marca com um custo por volta de R$ 50,00 a unidade – um nota 4 em 5 possíveis. Algumas características indicam que o charuto ainda não está totalmente pronto, devendo amadurecer e melhorar nos próximos meses mas não creio que evolua para uma nota 5.