Arquivo do mês: abril 2011

OUTRA VIAGEM…

Amanhã estaremos indo para Buenos Aires, com retorno na segunda-feira. Neste período não postaremos mas a partir deterça-feira a vida volta ao normal, com posts argentinos inclusive.
Até lá.

BURRATA “AL SUGO”.

Postado por: José De Mauro.

Segunda-feira decidi fazer molho de tomate. Aproveitando o molho recém-feito preparei o jantar, quer dizer a Patrícia preparou. E como ainda tinha uma burrata na geladeira criamos uma receita com ela. Após provar a burrata empanada nossa impressão foi a de que ela devia ser mais leve, decidimos mudar portanto o modo de empanar e a sequencia do preparo, o resultado foi melhor – veja a receita:

Ingredientes para 2 a 3 pessoas, como entrada:

1 burrata Borghese

0,9 litros de óleo para fritar

1 ovo em temperatura ambiente

Farinha fina para tempura o quanto baste

Farinha de rosca o quanto baste

Flor de sal a gosto

Modo de fazer:

Leve a burrata ao freezer por cerca de 30 minutos, cuide para que não congele, não a deixe tocar as paredes do freezer e vire-a pelo menos 1 vez nesse período.

Enquanto isso com um fouet bata o ovo e adicione a ele a farinha de tempura, misture até formar uma massa bem mole. Em seguida passe a burrata pela farinha de rosca. Coloque a burrata em um cesto de fritar ou peneira de metal funda. Em uma panela de 2 litros de capacidade aqueça o óleo e mergulhe nele a burrata, frite até dourar. Retire do fogo, seque com papel absorvente, passe para um prato e cubra com o molho de tomate, se quiser enfeite com um ramo de tempero.

Das receitas que preparamos esta, até o momento é a nossa predileta, seguida de perto pela burrata com azeite extravirgem e flor de sal.

MOLHO DE TOMATE – “AL SUGO”.

Postado por: José De Mauro.

O molho de tomate bem feito é a alma dos pratos simples da cozinha italiana. Parece uma coisa simples porém, como todo o prato simples merece ser estudado pois dá um certo trabalho faze-lo.

A quantidade que descrevo aqui é baseada no tamanho dos utensílios e aparelhos que disponho e na quantidade de molho que uso em média por semana, você deve adapta-la a sua conveniência. O peso de tomate indicado, por exemplo, dá 2 cargas do copo do meu liquidificador e adicionado dos demais ingredientes metade do volume de minha panela de cozimento que tem volume total de 10 litros, o uso de uma panela alta é necessário para evitar que o molho respingue em tudo, e em todos, na parte final do cozimento. O resultado é cerca de 1,5 litros de molho pronto para uso. Este processo garante também a utilização quase total dos tomates pois ao serem batidos com casca e sementes aproveitamos ao máximo sua polpa, compare a foto dos tomates utilizados com a do descarte de seus resíduos, o recipiente de ambas as fotos é o mesmo.

Ingredientes:

1,8 quilos de tomates maduros, o mais vermelho possível

1,5 a 2 litros de água filtrada

1 xícara de azeite

1 colher de sopa cheia de sal com ½ colher de café de açúcar misturada

3 colheres de sopa de manjericão fresco, só as folhas

Modo de fazer:

Lave os tomates e corte-os em 4 partes, bata “bem” no liquidificador. Para facilitar esta operação adicione um pouco de água a cada enchida do copo do liquidificador. Leve a panela ao fogo, aqueça o azeite e refogue a cebola até murchar, sem deixar mudar de cor. Retire a panela do fogo e passe os tomates batidos direto do liquidificador para a panela usando um “Chinois”, uma peneira cônica e resistente de uso na cozinha, e uma espátula ou socador. Caso use uma peneira normal escolha uma com malha mais aberta. Repita a operação quantas vezes forem necessárias. A massa que fica na peneira deve ser juntada para passar mais uma vez pelo liquidificador com um pouco de água e novamente peneirada. Após esta segunda passada descarte. Complete com água para que o volume total fique próximo de 5 litros.

Tempere o molho com o sal misturado com o açúcar e o manjericão, volte a panela ao fogo e deixe em fogo alto até levantar fervura. Note que na foto apesar de tampada a panela fica semi aberta pois caso seja totalmente fechada o molho espuma e vaza. Após levantar fervura abaixe o fogo ao mínimo possível e deixe cozinhar mexendo de vez em quando por cerca de 2 a 3 horas. Quando o molho começar a borbulhar, parecendo lava de um vulcão – veja a ultima foto, mantenha no fogo por mais uns 10 a 15 minutos e está pronto. Pode usar como foi feito, esfriar e congelar – dura um mês aproximadamente se congelado ou utilizado em molhos mais complexos.

Na foto abaixo a colocação correta da tampa da panela, o molho fervendo no meio do cozimento e detalhe do molho na fase final de cozimento, borbulhando.

O tempo de cozimento prolongado faz grande diferença no resultado, quanto mais baixo o fogo e maior o tempo de cozimento melhor e mais vermelho fica o molho, em casos extremos chego a cozinha-lo por cerca de 5 horas.

COHIBA SIGLO V.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre charutos, portanto se você não tem 18 anos, por favor, deixe de ler. É proibido por lei.

Sei que o fumo causa problemas de saúde. Fumar charuto é uma decisão pessoal minha e leva em conta os riscos advindos dessa decisão. Milhares de pessoas morrem no trânsito, mas não se proíbem os carros.

A série “Siglo”foi lançada pela Cohiba para comemorar os 5 séculos de descoberta da América e também do tabaco. Inicialmente constituída por 5 formatos teve mais um adicionado ao passarmos pelo ano 2000, comemorando assim o novo século.

O Siglo V é um excelente charuto, embora seja raro no Brasil onde seu formato não tem grande procura, denominado comercialmente de Lonsdale, 6 ¾ “X 43, 170 milímetros de comprimento por 17,1 milímetros de diâmetro, vitola de galera Dália Sua raridade torna fácil que se vendam charutos falsos pois o fato de não ser muito conhecido dificulta comparações, portanto cuidado ao compra-lo por aqui. Outro problema é a confusão, em algumas tabacarias, entre o Siglo V e os charutos da série Maduro 5.

Capa café com leite comum a toda série é um charuto elegante, fácil de portar no bolso interno do paletó devido seu diâmetro médio, bonito porém sem a aparência de poder dos charutos maiores uma boa fumada de pouco mais de uma hora, consistente, aroma e força compatíveis, leve apimentado e algum amargor principalmente no final onde a cinza parece perder um pouco a boa consistência inicial. Um nota 4 em 5 possíveis que merece ser conhecido.

Outros posts sobre os Cohibas Siglo Séries:

https://retrogosto.wordpress.com/2011/05/12/2079/

https://retrogosto.wordpress.com/2011/05/07/cohiba-siglo-series/

BURRATA COM LIMÃO SICILIANO.

Postado por: José De Mauro.

Continuando com o sucesso aqui em casa as burratas são compradas semanalmente, 2 ou 3, e preparadas como entrada ou jantar leve, acompanhadas de salada ou legumes cozidos. Além disso tentamos sempre criar novas receitas mais ou menos complexas para o produto. Esta receita é simples e tem um sabor mais ácido devido a casca de limão que utilizamos, apenas a parte amarela, sem o branco que tem sabor amargo, é refrescante e vai melhor em dias quentes acompanhada de uma cerveja clara ou um chopp gelado.

Ingredientes para 2 a 3 pessoas (como entrada):

1 burrata Borghese

1 colher de chá de raspas da casca (só a parte amarela) de limão siciliano

Azeite extra virgem

Flor de sal a gosto

Modo de fazer:

Coloque a burrata em um recipiente, despeje metade da raspa sobre ela e regue com um fio de azeite. Este processo evita virar a burrata para tempera-la por baixo pois o azeite leva parte das raspas ao escorrer. Coloque o restante da raspa sobre a burrata e polvilhe com flor de sal a gosto.

Huto – A Repaginação de um Restaurante

Postado por: Patrícia De Mauro.

Sou amante da Contrução civil, amo obra, mas não na minha casa.  É incrível, como uma mudança de cor, uma luz a mais aqui, uma planta alí, uma cortina acolá, faz diferença em toda estrutura de um lugar. Frequentamos o Huto ha pelo menos 1 ano e meio, não viamos motivos para reformar, mas nada melhor do que um dono como o Fábio Honda, que mete a mão na massa mesmo e trabalha junto com seus colaboradores para entender o que falta, sobra, precisa melhorar…enfim, antes de fechar para a obra, ele chegou a nos mostrar a planta como ficaria, achamos legal, mas não muito, afinal, obra nunca termina no prazo e este já é um lugar que frequentamos pelo menos uma vez por semana. Esperamos, enquanto isso, fomos conhecendo outros lugares, também foi muito bom para nós e para o blog que alimenta com informações seus frequentadores.

As mudanças com a obra foi incrível, muito mais aconchegante, moderno, mais espaço, iluminação adequada, respeitando um clima intimista sem precisar aproximar o cardápio para conseguir lêr e ainda, sofisticado.

Com a repaginação do restaurante, os garçons foram repaginados também, o atendimento é sempre muito atencioso e não perdeu a identidade, seja pelo Fábio ou por um de seus funcionários, agora, de terno e gravata,  a postura melhorou muito, ficou bem bacana, eles ficaram mais seguros, confiantes. A Hotess que é naturalmente séria, porém educada, antes usava terninho, o que a deixava ainda mais séria, agora usa vestido, ficou mais elegante, feminina, com um ar mais alegre.

E o cardápio? Também sofreu algumas alterações, já era muito bom, mas conseguiram ficar ainda melhor!

Na nossa última visita pedimos alguns itens novos:

1 – Ovo mole empanado, com ovas de salmão e um vinagrete delicioso!!!

2 – Berinjela empanada ,recheada com peixe, muito bom.

3 -Lichia com Foiegras e creme de shimeji, este desde quando reabriu o restaurante eu peço e sempre fico encantada. Quanto sabor, que delicadeza! Dica: Caso queira ir ao local para degustar este prato é necessário que ligue  e informe, pois são ingredientes muito delicados.

4 – Gaspacho de edamane (soja verde) com gelatina de caldo de peixe com um camarão dentro, refrescante e rico em sabor.

5 – Pitaia grelhada com sorvete de creme e melado

Que repaginação!?!!

Parabéns a Equipe Huto!

DON PORFIRIO PUENTES DIADEMA.

Postado por: José De Mauro.

Este texto é sobre charutos, portanto se você não tem 18 anos, por favor, deixe de ler. É proibido por lei.

Sei que o fumo causa problemas de saúde. Fumar charuto é uma decisão pessoal minha e leva em conta os riscos advindos dessa decisão. Milhares de pessoas morrem no trânsito, mas não se proíbem os carros.

Mais um charuto nacional, fabricado no interior de São Paulo com fumo baiano, Mata Norte e Mata Fina este Diadema tem um excelente custo/ benefício, comprimento de 174 milímetros e bitola 56 é um figurado fechado em ambas as pontas bem acabado.

Capa colorado maduro, algo rugosa, com alguma variação de tonalidade, espessura muito fina lembrando as capas dos bons cubanos, fluxo aberto, cinza um tanto solta, aroma e força ajustados, de médio para forte. Apimentado com pouco amargor fica um pouco acima do indicado para principiantes, foi uma fumada fácil e saborosa.

Apesar de não se comparar aos cubanos pois tem personalidade própia brasileira é um bom nacional e vale também pelo custo/ benefício, um nota 3 em 5 possíveis, sua fumaça dura pouco mais de 1 ½ hora.