Arquivo do mês: janeiro 2010

Caipiroska de Caju

Oi Pessoal!
Com o clima bem tropical, como faz nesta época, temos o prazer de saborear algumas frutas que realmente ficam bem diferentes de outras épocas do ano, como o caju, que fica com mais sabor, mais suculento e com intensidade incrível no perfume. 



Então, por este motivo, a minha primeira degustação foi a caipiroska de Caju e sem sombra de dúvidas, é muito gostosa, aroma inigualável antes do primeiro gole eu já estava salivando, sabe? assim…com a boca cheia d`agua, foi só o garçon colocar a bebida na mesa. No primeiro gole aquele sabor consistente e persistente maravilhoso…fica bemmm difícil beber só uma, na minha opinião, com a dose correta de vocka fica a perfeição, nem mais nem menos vodcka! a dose certa que uma caipiroska pede.


Esta foi degustada no Restaurante Brasil a gosto.
http://www.brasilagosto.com.br

Picolé de Caipirinha???

Vi a matéria e não deixei passar, peguei para complementar o nosso assunto sobre a caipirinha. 




27/01/10 – 08h59 – Atualizado em 27/01/10 – 11h04




Dono de ‘melhor restaurante do mundo’ cria picolé de caipirinha

Chef espanhol Ferran Adriá apresenta coquetel em fórum de gastronomia em Madri.
Da BBC
Tamanho da letra
O conhecido chef espanhol Ferran Adriá apresentou em um congresso de gastronomia em Madri um picolé de caipirinha.


O picolé é apresentado como parte de um aperitivo num copo com gelo picado nas bordas. O palito, de um centímetro de espessura, é cortado de cana de açúcar. Os ingredientes da caipirinha – cachaça, raspadura de lima e açúcar demerara – são congelados com uma técnica do nitrogênio líquido, desenvolvida por Adriá.


Por último, o palito é salpicado com cristais de ácido cítrico granulado e servido no copo com gelo. O coquetel deve ser mastigado para se saborear a combinação dos elementos


Adriá, dono do famoso restaurante El Bulli, tido há quatro anos consecutivos como o melhor do mundo pela Restaurant Magazine, apresentou e disponibilizou a novidade para degustação do público do Madri Fusión 2010 durante sua aula-palestra no seminário “Teatro das ideias” do fórum gastronômico.

O palito é salpicado com cristais de ácido cítrico granulado e servido no copo com gelo (Foto: Madri Fusión 2010 )


A caipirinha comestível é vendida no seu estaurante, onde o preço médio para um jantar individual está em torno de R$ 1 mil (312 euros).


Bem…Esse não vou conseguir degustar…mas vou tentar fazer algo que pelo menos lembre e dividir a experiência com vocês!

Está lançado o desafio – 100 Caipirinhas e Drinks!

Olá Pessoas!
Pesquisando sobre caipirinhas me fiz um desafio de degustar 100 Caipirinhas, caipiroskas, saquerinhas… e drinks dos mais variados sabores,  comentarei aqui com vocês. Pretendo terminar este desafio antes de 2011. Será que eu consigo? 
Este post vem como introdução do mundo da bebida mais conhecida internacionalmente. Caipirinha.





É feita com cachaçalimão taiti não descascado (também conhecido alhures como lima ácida verde), açúcar e gelo. No Brasil, é servida na maioria dos bares e restaurantes.. Era considerada um poderoso remédio contra a gripe. Da fórmula original, considerada um clássico da coquetelaria internacional, apenas o açúcar e o gelo permanecem intocáveis: em bares de todo o mundo, a receita vem ganhando novas cores e sabores, com ingredientes cada vez mais surpreendentes. Aos poucos, a cachaça cedeu espaço para a vodca, o rum e o saquê, ao gosto do freguês. O limão vez por outra dá lugar a frutas tradicionais, como o morango, o maracujá ou a lima. Alguns barmen recentemente têm criado outras receitas de “caipirinhas”, e hoje já se podem provar caipirinhas de saquê com lichia ou de carambola com manjericão. Até a laranja e a jabuticaba, geralmente desprezadas, são lembradas. Virou moda também juntar duas, três ou até quatro frutas no mesmo copo. Bom exemplo é a caipirinha de frutas vermelhas, uma combinação de amora, morango e framboesa.


Historicamente falando:
A nossa e legítima caipirinha de limão açúcar e cachaça, se confunde com a própria história da cachaça. Esta por sua vez, remonta não só do Brasil. Já havia registros da produção de cachaça em manuscritos de Sá de Miranda (1.491 a 1558), em Portugal. Pode-se dizer , pelo menos , que a tecnologia para a fabricação da cachaça já existia. Se avançarmos um pouco no tempo, por volta do século XVI, com a introdução da cultura da cana-de-açúcar no Brasil Colonial, poderemos entender melhor essa mistura. Porém, os colonos tomavam a cachaça pura e não a mistruravam com outros ingredientes. Para falarmos da caipirinha, é necessário também que se conte algo a respeito da fruta.


Os colonos ignoravam a abundância das frutas na nossa terra, que era vastamente consumida por escravos e índios, no Brasil, e, como não poderia deixar de ser, em festas que os escravos faziam tomavam da garapa, o suco da cana ainda não fermentado, e era comum misturarem frutas ou suco das frutas no caldo de cana. As frutas cítricas concedem uma nota de contraste ao suco da cana. O limão, introduzido nas Américas por Colombo, o mais cítrico e de sabor mais realçado, deve ter sido o mais usado a partir de sua chegada nos engenhos. Nos engenhos, o que restava da produção de açúcar era dado aos escravos e aos animais. Esse material era a borra do melaço fermentada, mais conhecido hoje como “vinho de cana”. Esta borra é chamada até hoje pelos espanhóis de “cachaza” ou “cagassa” em português. Os jesuítas registraram que a “áugoa ardente” era dada aos escravos. Enfim, com esses ingredientes , não é difícil acreditar que a caiprinha, a nossa caipirinha, sempre de cachaça, a legítima, tenho surgido nessa época, em cerimônias e festas religiosas de escravos.


É evidente também, que o gêlo na caipirinha só surgiu com o avanço da tecnologia, muitos séculos depois. Avançando mais ainda no tempo, as expressões modernistas do início do século XX, começavam a se insurgir contra o poderio cultural da Europa, e começaram a difundir artes e culinária genuinamente produzidas no Brasil. Vários escritores como Oswald de Andrade , Mário de Andrade, Monteiro Lobato, tratam já da caipirinha em seus escritos. Conta-se que Tarsila do Amaral, na década de 20, organizava grandes feijoadas em Paris e conseguia o feijão em mercadinhos locais. Mas a cachaça para a caipirinha ia do Brasil, rotulada como “produto de beleza” para passar pela alfândega francesa. 
Tudo pelo sabor incomparável desta deliciosa bebida!


Saúde!

As próximas postagem do Especial Caipirinhas e Drinks que será sobre as degustações, colocarei fotos e endereços. 

Fontes: wikipedia.org e www.derivanbar.com

Meu Bacalhau com Penne e perfume de limão siciliano!

 Pessoas,


Conforme eu havia falado: Segundona, feriadão em São Paulo, com o tempo nubladão e com chuvinhas que vai e vem…fiquei em casa para cozinhar.
Bacalhau é um dos pratos que eu faço e que mais agrada ao Mauro, então, decidi fazer algo que ele apreciasse com moderação…
Fiz um Bacalhau com Penne e perfume de limão siciliano!
Sou exagerada na cozinha, então a medida que segue aqui serve muito bem 4 pessoas.




Ingredientes:
500 gramas de lombo de bacalhau dessalgado 
300 gramas de macarrão penne cozido ao dente
1/2 pimentão, pode misturar parte de: verde, vermelho e amarelo em cubinhos
1 abobrinha cortada em cubinhos
1 cebola cortada em cubinhos
1/2 cabeça de alho em laminas 
100 gramas de ervilha congelada e pré- cozida
100 gramas de brocolis pré- cozido cortado em pequenos pedaços
100 gramas de cenoura cortada em cubinhos e pré-cozido.



Deixe o bacalhau no caldo do limão siciliano por 10 minutos e escorra. 
Modo de Fazer: 
Numa frigideira grande ( 50 cm de diâmetro), aqueça o azeite e refogue na seguinte ordem:
Cebola, pimentões, alho, abobrinha, cenoura, bacalhau, ervilha, brocolis e por fim o macarrão. Acerte o sal e a pimenta e adicione  a manteiga e o óleo de gergilim para ligar os ingredientes.


Tempero:
1/2 limão siciliano
2 colheres de sopa de manteiga sem sal
1 colher de café de óleo de gergilim torrado
50 ml de azeite extra virgem
flor de sal ou sal marinho a gosto
pimenta do reino moída na hora a gosto
ramos de manjericão para decorar.

Montagem: Divida o refogado pelos pratos formando os montes, distribua o azeite em taças pequenas coloque sobre o prato enfeite com pequeno ramo de manjericão e sirva imediatamente.

Ingredientes:



Taça de azeite com perfume de limão siciliano:
100 ml de azeite 
Raspas da casca de 1/2 limão siciliano 
Atenção: apenas a parte amarela da casca
uma pitada de flor de sal
Modo de fazer:
Misture o azeite com a raspa da casca do limão e a pitada de sal e reserve, aguarde por 10 minutos e sirva no prato.

<a href="http://pedacinhosd
omundoetcetal.files.wordpress.com/2010/01/p1020286.jpg” style=”margin-left:1em;margin-right:1em;”>

Caso sinta necessidade e tenha um paladar aventureiro como o Mauro (meu marido que elaborou esta receita) , experimente de entrada esta salada de manga:


Ingredientes:
1 manga cortada em cubos de 2 cm – ( Fica ainda melhor se a manga estiver mais para verde do que madura).
Folhas de manjericão
1 pimenta dedo de moça em rodelas finas – use na quantidade adequada ao seu paladar.
Sal marinho a gosto.
Misture os ingredientes, deixe por dez minutos na geladeira e sirva.


E de vinho para acompanhar:

Eu prefiro um vinho branco ou verde e a escolha desta vez  foi pelo branco Francês da Alsace Riesling ” Hugel” – 2003  ( comprado no bota fora da Word Wine), refrescante como o prato principal, bastante frutado com um leve toque de mel.  


Bom apetite! 

















Ano novo, Tempo de Renovação!

Renovar é preciso!
O Universo é puro movimento e está em constante renovação.
Na natureza tudo se renova cada instante.

Esta é a lei!
O princípio da renovação obedece a lei natural da vida.
Estamos todos e tudo em constante movimento e mudanças, apesar de existir entre os seres humanos ainda pessoas que são resistentes a mudanças e que se colocam contra as leis da natureza e escolhem permanecerem na estagnação.

A vida é uma via de acesso para o crescimento e evolução das espécies, em especial ao reino Humano, O Universo sempre dispõe de meios que promovem e nos auxiliam no processo de crescimento e evolução.

Situações surgem a todos os instantes provendo oportunidades a todos. Precisamos tomar decisões e termos coragem de ir a luta e parar de esperar a felicidade sem esforços.

Não exigirmos das outras pessoas aquilo que muitas vezes não fazemos. Precisamos deixar de lado as críticas, investirmos sério no nosso trabalho em prol do nosso crescimento e realização para podermos ser felizes e também proporcionarmos felicidade ao mundo, não esquecendo que todas as oportunidades nos são dadas pelo Universo.

Vamos agradecer pela vida e tudo que temos na vida. Tudo Mesmo! Até mesmo as dificuldades e adversidades que se apresentam, mais que nada mais são do que as grandes oportunidades de testarmos o quanto somos capazes.

Ninguém pode avançar em direção ao novo se permanece obstruído, contaminado pelo velho e não se dá chance. Veja a mudança como um degrau a mais na escada que você sobe na vida.

O Tempo não espera por ninguém.

Faça você mesmo o seu tempo, mude enquanto é tempo, pois se você não tomar a decisão alguém em qualquer tempo, ou algum fato ou circunstância poderão manobrar o seu processo e efetuar mudanças e transformações na sua vida.

A responsabilidade perante a vida é individual e intransferível. Você pode e é capaz! Teste-se! Tenha coragem! Escreva você mesmo no livro da sua vida, faça dela uma obra de arte.

Ame sempre sem recompensa! Procure despertar em ideais elevados. Respeite a tudo e a todos independente do que pensam e do que fazem. Pois não nos cabe julgar ninguém, e cada um responderá por sua própria vida diante da Lei da Vida.

Ajude a quem precisa, e tenha sempre uma palavra de ânimo e coragem para teu semelhante. Plante árvores, flores, cuide da natureza, dos animais, dos rios, enfim, respeite o planeta em que vive e que tão generosamente te oferece tudo o que precisas. Não se esqueça, você também pode ser um vencedor!!!

Feliz Ano Novo!!!!